Indignação depois que o zagueiro argentino deixa o rival do Brasil sangrando quando Messi e Co selam uma vaga na Copa do Mundo (VÍDEO)

Os torcedores reagiram com raiva depois que o zagueiro argentino Nicolas Otamendi deixou o rival brasileiro Raphinha no chão durante um acalorado jogo de eliminatórias para a Copa do Mundo, quando Lionel Messi e companhia reservaram seus ingressos para a final do Catar no ano que vem.


Ao contrário do icônico El Monumental do River Plate, onde a Albiceleste venceu a edição de 1978 do torneio, a partida aconteceu no muito menor Estadio del Bicentenario, em San Juan.

Ficando atrás de seus homens, no entanto, uma multidão de 25.000 ainda estava barulhenta e tentava incomodar os visitantes do outro lado da fronteira desde o início.

Jogando sem Neymar, Vinicius Jr. hoje considerado o melhor brasileiro em forma da Europa foi encarregado de liderar o ataque e logo se envolveu no confronto com Nicolas Otamendi.

Interferindo por ele quando o atacante do Real Madrid protestou com o árbitro, isso foi leve em comparação com o que se seguiu a seguir do ex-zagueiro do Manchester City.

No flanco direito, enquanto lutava pela bola com a estrela do Leeds United, o veterano acertou Raphinha com uma cotovelada, que não teve nenhum cartão amarelo.

Para piorar a situação, enquanto o extremo contorcia-se no chão com a boca ensanguentada, o defesa-central do Benfica pegou na vítima e colocou-a de pé.

No Brasil, o incidente causou indignação com o comentarista do Globoesporte Galvão Bueno rotulando-o de “constrangimento” e questionando por que o VAR existia.

“É simplesmente impossível não ver a cotovelada de Otamendi para Raphinha”, criticou o técnico brasileiro Tite depois.

“Isso influenciou o resultado? Não sei”, continuou ele.

“[Mas] árbitros VAR de alto nível não podem trabalhar dessa maneira. Eles não podem. É inconcebível. E inconcebível não é o termo que eu quero usar, mas eu digo assim porque sou educado”, concluiu Tite.

De volta à própria partida, havia pelo menos um pouco da habilidade alucinante em exibição que torna o Superclasico o que é.

Aproximando-se do intervalo, Angel Di Maria mandou Vinicius Jr às lojas com uma noz-moscada sublime que se tornou viral e já foi vista mais de 3 milhões de vezes.

Ele próprio um saco de truques, e para não ficar atrás, o ex-jogador do Flamengo respondeu no segundo tempo com um arco-íris que também foi de cair o queixo.

Fartos do sistema de jogadores ensinados desde a academia para suprimir seus instintos expressivos, os torcedores nas redes sociais jorraram que a “arte do futebol”, como é conhecida no Brasil, ainda está viva e bem.

O empate terminou sem gols, no entanto, com Messi estrondoso online por uma exibição bastante anônima e infeliz por sua equipe não ter conseguido a vitória.

“Sempre soubemos que podíamos vencer”, disse Messi após a partida.

“Estávamos convencidos desde o início e tentamos jogar, mas às vezes não conseguimos.

“Mas o importante é que também não perdemos, seguimos em frente e continuamos a crescer.

O seu clube, PSG, furioso por ter sido convocado quando falhou os dois últimos jogos devido a uma mistura de problemas no joelho e isquiotibiais, o jogador de 34 anos também deu informações sobre a sua condição física.

“Não jogo há muito tempo. Foi um jogo muito intenso e preciso encontrar o meu ritmo. Estou bem, obviamente não fisicamente”, disse ele.

“Estou parado há muito tempo e não é fácil apenas jogar um jogo que tem tanto ritmo imediatamente. Felizmente estou bem, espero terminar o ano bem agora.”

Finalmente conseguindo um grande troféu com seu país em solo brasileiro neste verão, Messi poderia fazer isso adicionando uma sétima Bola de Ouro à sua coleção pessoal no mês que vem.

Enquanto isso, a Argentina, invicta há 27 jogos, tem passagem garantida para o Catar graças a outros resultados no grupo de qualificação da CONMEBOL na noite passada.

E nem é preciso dizer que a vitória em sua 13ª participação consecutiva na competição completaria o armário de troféus de Messi de uma vez por todas.

Popular

Histórias relacionadas